Uma ideia genial para um produto ou serviço simboliza só o começo de uma jornada. Antes de lançar um produto, existe um longo caminho que envolve pesquisa e uma boa estratégia de marketing, importantes para assegurar a sustentabilidade de um negócio.

 

O mundo está cheio de pessoas com grandes ideias. Mas a forma como se produz e executa é o que faz toda a diferença para que o mercado e o público percebam o valor da sua ideia. O que tem tudo o ver com pesquisa, estratégia e planejamento de marketing. Nesta publicação e na próxima vamos oferecer alguns pontos principais para dar um start nessa caminhada. O objetivo é expor os processos de maneira simplificada, daquilo que você precisa saber e deve se apoderar.

Nessa primeira parte, vamos falar em como tirar uma ideia do papel a partir da pesquisa de mercado e de público. E no próximo post, em como transformar esse estudo, em estratégia.

Mas, é preciso deixar claro que não existe uma fórmula mágica para os negócios, e sim diversas técnicas e teorias que servem como base para o desenvolvimento do seu trabalho. Só quem conhece bem o negócio em questão saberá dizer qual o melhor caminho para que o projeto se desenvolva de maneira segura e sustentável.

Por isso, o apoio de um especialista é crucial para validar o seu negócio nessa etapa inicial. Ele vai ter expertise suficiente para elaborar um planejamento de marketing de acordo com os valores e os propósitos da sua empresa. Os profissionais de marketing estarão aptos e tem inúmeras competências para poder lançar a sua marca de forma lógica e coerente.

O marketing, mais do que uma forma de promover produtos/serviços, é uma orientação, que nos permite enxergar o negócio como um todo e parte do princípio de termos um produto / serviço que seja capaz de gerar real valor. Entender isso é uma parte essencial da sua jornada. Está pronto?

 

Mapeie o mercado e os concorrentes

Essa parte começa com perguntas básicas que podem parecer óbvias, mas que uma boa reflexão pode trazer novas perspectivas. Elas são essenciais para dar base para o que vem pela frente, principalmente para formular a estratégia de marketing. Quando falamos em estratégia, estamos nos referindo em pensar nas formas de fazer um negócio ir de um ponto A a um ponto B. O caminho que será percorrido, através de ações, para chegar ao objetivo.

Questione o objetivo do seu produto / serviço: Ele soluciona o problema de alguém ou é só mais um produto no mercado? Se você respondeu que sim e mesmo assim quer continuar, é importante começar a pensar em o que te destaca no mercado.

É nessa etapa que partimos para a pesquisa de mercado. Essa é a base de uma estratégia de marketing, que você já deve ter ouvido falar por aí: a análise de mercado. O que significa identificar o macro e microambiente, a famosa matriz SWOT (ou FOFA), que identifica as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças da da empresa. A análise do macroambiente identifica forças externas e que não são controláveis que podem afetar (positiva ou negativamente) o seu trabalho, como situações econômicas, sociais e de comportamento. É uma boa hora para analisar se esse é o momento para essa ideia ser lançada.

Já o microambiente diz respeito a análises internas voltadas para o segmento da sua empresa e dos seus concorrentes, que definem a competitividade do mercado de atuação. Quem são os concorrentes? Onde eles estão atuando? Como está o mercado para eles? Avaliar os pontos positivos e negativos dos concorrentes é uma maneira de realizar o benchmarking, que define as melhores práticas para um alto desempenho. 

A análise de mercado fará com que você entenda onde estará “pisando”, uma prévia do que encontrará no caminho que vai te ajudar ou te prejudicar, e como tirar o melhor proveito disso. Essa também é a hora de definir sua missão, visão e valores, que te darão o “norte” dessa empreitada.

E, uma etapa imprescindível: Para quem você está falando? Defina um público-alvo, e depois evolua para a sua persona.

 

O público-alvo e sua persona para a estratégia certa

O significado de público-alvo e o da persona podem se misturar, mas ambos têm objetivos diferentes. O primeiro tem uma definição mais ampla, já o segundo é mais específico. O que deve ser considerado primeiro é o público-alvo, que são os potenciais consumidores do seu serviço, demandando uma pesquisa com dados mais genéricos, como recorte de idade, gênero, classe social e hábitos de consumo. Ao identificá-lo, poderá criar estratégias para captar leads, que serão seus clientes.

Sendo assim, os clientes – aqueles que terão interesse em comprar o seu produto/serviço – são sua buyer persona (aquele que compra).  A persona é um personagem único, que você cria, com base no seu consumidor ideal – e real – da sua empresa. Você dá um nome a essa pessoa, e constrói uma descrição detalhada, levando em conta características como escolaridade, estilo de vida, valores, “dores” relacionadas ao consumo, quem os influencia na hora da compra, onde busca informação e quais canais usa.

Nesse caminho, você também poderá mapear a jornada de compra, que transforma o consumidor em cliente. A partir deste mapeamento, é possível criar estratégias de marketing mais poderosas para captar e fidelizar clientes, pois você saberá exatamente para quem você está falando, os canais de comunicação onde se encontra, o que necessita e qual linguagem utilizar.

Chegou o momento de avaliar tudo o que construiu até então, o que colocou “no papel”, porque a ideia foi reestruturada e construída. Avalie quais foram as mudanças e destaque a nova perspectiva que criou para começar a pensar em ações para o seu produto / serviço competitivo – lembrando que essas devem sempre se adequar aos seus objetivos e às necessidades do mercado.

A próxima etapa é colocar a “mão na massa”, que é a estratégia, planejamento de marketing  e sua execução. Mas esses são tópicos para uma próxima postagem. Nos acompanhe 🙂


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *